DANCE, MICHAEL, DANCE!

______________________________________________

28 junho 2013

26 novembro 2009

The Bravery em: "Stir The Blood", 2009


Para a felicidade de todos os que conheciam e se decepcionaram um pouco com o The Sun and The Moon, os caras voltaram com a ótima fórmula do seu debut. Se afogando com sintetizadores, vocal típico, denso e arrastado de Sam Eddincot e ao mesmo tempo que fazem um som com uma atmosfera um tanto densa, conseguem ser dançantes.
"Slow Poison", o primeiro single, já veio mostrando que os sintetizadores e a vibe anos 80 voltaram a ser a marca da banda. Com refrão grudento e uma letra pesada, quando terminar a musica, vai continuar a cantar:

"It's cut-cut-cutting me
Like slow poison
Cut down, slow poison"

"She's So Bendable" lembra muito "The Jesus and Mary Chain", e talvez seja a faixa que mais destoa das outras. Menos eletrônica e mais daquela atmosfera densa post-punk.
"Song For Jacob" é "Joy Division" do início ao fim. Simplesmente demais! Enfim, pra quem sentiu falta desse ar mais eletrônico no The Sun and The Moon, o Stir The Blood não vai sair da playlist.

10 setembro 2009

The Ting Tings - We Started Nothing (2008)

O The Ting Tings, que está com o álbum ha pouco mais de um ano por aí e depois de vários boatos de que viriam ou não pro BR, finalmente confirmaram. Rolou até que abririam pro Pet Shop Boys agora em outubro, mas ficaram pro Terra mesmo. Bom, de qualquer forma, quem gosta vai poder curtir o som dos caras ao vivo. E quem ainda não conhece, ainda dá tempo!

A dupla britânica é formada pela carismática Katie White, na guitarra e vocais e por Jules De Martino, que faz de tudo um pouco, guitarra, batera, piano e dá um apoio à Katie nos vocais.

Considerada por muitos a banda revelação de 2008, fazem um som super atual, animado e contagiante, com uma pegada anos 50 e uma referência ao funk anos 70. Chamaram uma atenção da mídia com seus dois primeiros singles, "That's Not My Name" e "Great DJ", que foi remixada pelo Calvin Harris e mais tarde, com a viciante "Shut up And Let Me Go".

Músicas chicletes como as citadas acima, porém, muito divertidas pra ouvir e jogar na dancefloor. Algumas faixas surgem mais sérias e com umas letras bem interessates. "Keep You Head", "Be The One" e "We Walk" entram pra essa lista e são, particularmente, as melhores faixas do álbum. "Traffic Light" tem um jeitinho bem infantil. E fechando o álbum, vem "We Started Nothing", com um instrumental um tanto repetitivo, mas quando se ouve a música, dá pra entender que tinha de ser assim mesmo, nessa única base.
Enfim, um álbum divertido e que não dá pra ficar parado.

12 julho 2009

The Zutons em "Tired of Hanging Around", 2006

The Zutons é uma banda inglesa que faz um misto de brit rock com funk e soul music dos anos 60/70. Esse, que é o segundo álbum da banda (e na minha opinião, o melhor) traz a soul music mais evidente que no seu debut "Who killed...The Zutons?", porém um pouco mais pesado.

Refrões viciantes, baixo marcante, back vocals, o timbre diferenciado de Dave McCabe junto à essa mistura instrumental, empolgou muita gente.
Um álbum gostoso de ouvir. Abrindo com a rápida e ritmada "Tired of Hanging Around". Tem também a clássica "Valerie", uma baladinha muito gostosinha. "Someone Watching Over Me", começa com McCabe majestosamente se sobreponto ao piano, com uma letra obscura e intrigante:

"(...)They never let me wake to see who could be standing and guarding me and when the morning comes they never seem to stick around(...)"

"How Does It Feel?" é mais calma e entoada de back vocals, talvez um dos refrões mais legais do disco. "Oh Stacey (Look What You've Done!)" é bem interessante também, com um sax muito presente.

04 julho 2009

Santogold - Santogold (2008)

Fenômeno alternativo de 2007 lá fora, mas muito pouco divulgada aqui no BR, Santogold (Ou Santigold, como alguns preferem), mescla alguns estilos um tanto diferentes, mas que no final, soa agradável e dançante. Música africana, punk, soul, dub e música eletrônica, fazem parte desse leque de influências da cantora. Fortemente influenciada também por artistas pop music da década de 80.

Também não posso deixar de citar a semelhança com a cantora M.I.A., pois é impossível não lembrar. São parecidas pelo fato de compartilharem das mesmas influências, principalmente da musica de raiz africana. Ouvindo "L.E.S. Artistes" numa coletânea no final de 2007, fiquei curioso e fui correr atrás. Daí ano passado encontrei um álbum com um som super eclético e diferenciado. Ah, foi ela também que participou daquela música do centenário da marca All Star, "Drive Thru" com o Casablancas, N.E.R.D. e Pharrell Williams.

Bem, ainda não entendeu que mistura é essa? Imagine-se chegando numa festa numa casa abandonada, daquelas do subúrbio americano, sabe? Pessoas com roupas esquisitas, coloridas, dançando de forma estranha. Assim apenas não dá, né?! Então dá o play em músicas como "Unstoppable" e "You'll Find A Way" e coloquem no volume máximo. E agora? Já sei, começou a dançar.


27 junho 2009

The Bravery em: "The Sun And The Moon" 2007

Bom, esse foi o último post remanejado do finado downloadmp3rock, agora começarei a atualizar o blog realmente, com álbuns novos. Mas vamos ao que interessa, os britânicos do The Bravery. Foi uma das bandas que mais ouvi naquele boom de bandas alternativas entre 2003 e 2006, seguem o estilo The Killers e afins. Apesar de a sonoridade ter se alterado um pouco nesse que é o segundo disco dos caras, não deixa de ter sua importância. Diminuiram um pouco da influência oitentista, mas sem deixá-la de lado, e voltaram mais alternativos. O álbum teve duas versões lançadas, uma é esta que deixo aqui, e a outra é um álbum numa outra visão, retrabalhada e lançada numa versão deluxe. É uma banda que vale a pena conhecer.

Queens Of The Stone Age em: "Era Vulgaris" 2007

Era Vulgaris é o quinto álbum de estúdio da banda Queens Of The Stone Age. Gravado no segundo semestre de 2006, com produção de Chris Goss (que já havia colaborado com a banda na produção de Rated R e Songs For The Deaf), o álbum entrou em fase de mixagem em dezembro de 2006 e foi finalizado no começo de março de 2007. "Sick, Sick, Sick", "I Wanna Make It Chu" e "3's & 7's" são pra ouvir no último volume.

Franz Ferdinand em: "You Could Have It So Much Better" 2005

You Could Have It So Much Better é o segundo álbum da banda escocesa Franz Ferdinand, lançado em outubro de 2005. Impossível alguém ainda não conhecer, mas o Franz Ferdinand é um grupo de rock alternativo de Glasgow, Escócia, inspirado na banda Gang Of Four. Foi considerado uma das grandes revelações da cena musical no ano de 2004. Destaque para "The Fallen", "Do You Want To" e "Fade Together".

VHS or Beta em: "Night On Fire", 2004

Hoje eu trago aqui uma banda muito legal que não sei se todos conhecem. O nome VHS or Beta é uma brincadeira com a disputa do VHS com o Betamax nos anos 80. É um som completo e misto, com um ritmo eletrônico e guitarras com riffs chicletes e dançantes. As influências são The Cure, Depeche Mode, todo aquele ritmo mofado que os oitentistas trazem pro presente, adicionando também um pouco do atual Daft Punk. Destaque para a faixa título "Night on Fire", a melódica "The Melting Moon" e a dançante "No Cabaret".

- Por Murillo Borges

Young Love em: "Too Young To Fight It", 2007

Bem, Young Love faz um pop rock com batidas eletrônicas. Gosto muito das faixas Discotech e Give Up. Esse álbum foi meio que uma demo do atual "One Of Us", lançado esse ano.

24 junho 2009

The Kooks em: "Inside In/Inside Out" 2006

The Kooks é uma banda britânica de indie rock formada em Bringhton em 2004. É formada pelo vocalista Luke Pritchard, o guitarrista Hugh Harris, o baixista Max Rafferty e Paul Garred na percussão. Seu álbum de estréia Inside In/Inside Out permaneceu mais da metade de 2006 no Top 20 do Reino Unido, tendo vendido mais de um milhão de cópias naquele país.

Orson em: "Bright Idea" 2006


Banda revelação britânica junto com The Kooks no Brit Awards 2007, fazem um som certeiro com refrões grudantes. Gostei logo de cara. É bom pra colocar no volume máximo e sair cantando. Mas por fazerem um som meio pop e fácil, enjoa com o tempo. Nem por isso deixe de ouvir. Dão uma sensação alegre, divertida. This is my bright idea!

Arctic Monkeys em: "Favourite Worst Nightmare", 2007

Favourite Worst Nightmare é o segundo álbum lançado pela queridinha banda britânica, Arctic Monkeys, produzido por James Ford (que também produziu o albúm do Klaxons). Segue a mesma linha do primeiro álbum, com aquele rock adolescente, rápido e barulhento.

The State of Samuel em: "Here Come The Floods", 2007

As vezes a gente escuta uma música de um álbum de uma banda desconhecida, e não consegue sentir química nenhuma. E as vezes a gente se surpreende ouvindo um álbum inteiro e nem percebe que as músicas acabaram. Foi assim que aconteceu comigo. Desde a primeira vez que ouvi Residents of Gloom, primeira faixa do álbum da banda The State of Samuel, gostei muito e vi logo de cara que o álbum seria impecável até a última faixa.

O indie-pop dos rapazes suecos é dançante, analógico e brincalhão.A guitarra gosta de solos curtos , o baixo tem uma distorção suave, a bateria tem um pouco do ritmo militar,e o vocal dispensa comentários. Não acho justo destacar músicas, mas as faixas The Birds and Bats, Square Roots , e The Unholy Ghost , são ótimas quando escutadas várias vezes.

Postado originalmente por Murillo Borges.

The Shins em: "Wincing The Night Away" 2007

O terceiro álbum, "Wincing the Night Away", foi lançado no dia 23 de janeiro de 2007. Ele estreou na segunda posição na lista semanal dos discos mais vendidos da Billboard, com 118.000 cópias vendidas na primeira semana (a melhor performance de um artista da Sub Pop na história da gravadora), apesar de suas músicas terem vazado para a Internet em Outubro de 2006. Sua música é geralmente descrita como indie pop, mas nota-se influências de rock e folk. Destaque para "Sleeping Lessons", "Phantom Limb", "Sea Legs" e "Red Rabbits".